Web Toolbar by Wibiya

NOTA DE REPÚDIO - X Congresso Nacional da FENAJUD (CONSEJU)

Em cumprimento à obrigação de manter a transparência e a democracia na tarefa de representar os servidores do Poder Judiciário no Estado do Roraima, a Diretoria do SINTJURR, registra seu REPÚDIO aos atos e métodos adotados tanto pela Comissão Organizadora quanto pelos componentes da Mesa de Trabalhos quando da realização do X Congresso Nacional da FENAJUD (CONSEJU), ocorrido no período de 07 à 10 de dezembro de 2017, na cidade de Curitiba-PR.
 
O SINTJURR, mesmo sendo o menor dos sindicatos (em arrecadação, não em representatividade) filiados a FENAJUD, enviou ao X CONSEJU sete (07) delegados e um delegado nato, na expectativa de um evento sério, ético e democrático, o que não ocorreu.
 
Presenciamos e repudiamos, entre outras imoralidades, o descumprimento do Estatuto vigente da FENAJUD com objetivo de garantir, de forma arbitrária e ilegal, o controle diretivo da entidade.
 
A FENAJUD deveria ser apenas um instrumento para conseguir o bem comum da categoria. Mas, ao invés disso, se tornou objetivo principal de um grupo que se recusa ouvir os sindicatos filiados.
 
O SINTJURR não reconhece liderança política dos pseudo sindicalistas que orquestraram e protagonizaram as intimidações, ameaças e agressões aos delegados, com uso de seguranças particulares pagos pela FENAJUD,  com dinheiro de nossa contribuição sindical. A inaceitável insegurança no X CONSEJU, obrigou a retirada de várias delegações e contribuiu para ilegitimidade das decisões posteriormente adotadas.
 
Ao longo dos anos, Servidores foram às ruas contra a injustiça, falta de ética e o desrespeito aos princípios democráticos. Mas essas bandeiras foram irresponsavelmente rasgadas. Os membros da Mesa dos Trabalhos infringiram normas estatutárias, direitos e garantias constitucionais. O X CONSEJU foi palco de tudo que o SINTJURR repudia quando luta pela ordem democrática dentro ou fora dos tribunais. Não poderiamos continuar participando desse circo de ilegalidades, insegurança e desrespeito.
 
É vergonhoso ver a FENAJUD escrever uma página de sua história com a tinta da desordem, do desrespeito às leis e, principalmente, do que há de mais tendencioso na política sindical.
 
O SINTJURR nasceu da necessidade de união entre os servidores. Em nome desta união, esta nossa diretoria jamais vai compactuar com atos que contribuem para colocar em risco o Estado Democrático de Direito, muito menos a liberdade de expressão. A história do SINTJURR, à semelhança de outros sindicatos deste país, foi construída com base em princípios democráticos, no diálogo e no enfrentamento de ideias.
 
Ou a FENAJUD mantem o respeito aos princípios democrático e às diferenças, ou não tardará o dia em que os sindicatos independentes voltarão a se unir... Mas, desta vez, será um movimento de desfiliação. Afinal, a luta pelos direitos dos servidores não é prerrogativa exclusiva desta federação, muito menos de quem pretende se perpetuar na “liderança”. O SINTJURR sempre estará onde houver disposição para lutar em nome dos servidores, não importa a sigla.
 
Entenda-se que os sindicatos formam a federação e não o contrário. Os fatos ocorridos no X CONSEJU apagam um legado de lutas de uma FENAJUD que representou 23 estados. Dizemos “representou” porque o SINTJURR não se considera representado naquele evento. Este sindicato não aceita desrespeito às garantias coletivas e individuais, nem aceita abusos de qualquer natureza.
 
Queremos crer que o X CONSEJU acabou, mas não acabaram com a FENAJUD. Acreditamos que o bom senso prevalecerá e os sindicatos voltarão a ser ouvidos como representantes de milhares de servidores. Por isso, o SINTJURR reitera seu apoio a união dos servidores e a diretoria da FENAJUD, com mandado estatutariamente previsto para se findar em fevereiro de 2018, qualquer ato que antecipe esse prazo é ilegal. 
 
Diante dos fatos relatados, apoiamos o corajoso ato de suspender as atividades na Sede e na Casa de Apoio da FENAJUD, até o dia 18/12/17, proibindo entrada de qualquer pessoa, inclusive da diretoria com mandato vigente. Entendemos que tal medida se justifica pois há riscos ao patrimônio da entidade e de todos os diretores, bem como aos funcionários e demais pessoas.
 
Também repudiamos qualquer ato de invasão a sede e prédios da FENAJUD por quem quer que seja. Tal comportamento evidencia a falta de caráter de seus executores os quais portam-se como bandidos travestidos de sindicalistas e representantes dos servidores do Poder Judiciário brasileiro.
 
Por fim, a voz do SINTJURR não se calará enquanto servidores forem tratados como simples coadjuvantes na definição de seu destino.  
 
 
 Boa Vista-RR, 12 de dezembro de 2017
 
Diretoria Executiva do SINTJURR
 
*o texto tem por base nota publicada pelo SINJEP-PA, sindicato irmanado na luta.